Prémio de melhor tese de doutoramento em História da Arte entregue a alumnus da FLUL

O alumnus Ricardo Jorge Nunes da Silva, que se doutorou em História da Arte pela FLUL em 2018, é um dos vencedores dos Prémios da Associação Portuguesa de Historiadores da Arte/ Millennium José-Augusto França 2019, tendo sido galardoado na categoria de Melhor Tese de Doutoramento 2019.

diecnet2

Defendida em 2018 na FLUL, a investigação agora premiada está subordinada ao tema “O paradigma da Arquitectura em Portugal na Idade Moderna. Entre o Tardo-Gótico e o Renascimento: João de Castilho, o Mestre que amanhece e anoitece na obra”.

Centrando-se num dos pilares da arquitetura tardo-gótica e do Renascimento no território português, o alumnus propõe na tese de doutoramento uma releitura da obra e universo artístico de João de Castilho, fazendo-o à luz de documentação original e dos novos valores historiográficos. Nesse sentido, Ricardo Siva analisou os vários edifícios onde o mestre ibérico marcou presença, nomeadamente, o Mosteiro dos Jerónimos e o Convento de Cristo, procurando reconhecer a sua identidade, soluções estruturais, tecnologia construtiva, modelos e formas arquitetónicas.

Ricardo Silva é licenciado em História da Arte e mestre em Arte, Património e Restauro com a dissertação “Abóbadas Tardo-Medievais em Portugal: tipologias e concepção”, em ambos os casos pela FLUL, instituição onde foi, também, investigador do ARTIS - Instituto de História de Arte.

Texto e Fotografia: Tiago Artilheiro (FLUL-DREI, Núcleo de Alumni e Mecenato)