Antigo aluno da FLUL vence prémio em Espanha

O alumnus Nuno Júdice, que se licenciou pela FLUL em Filologia Românica nos inícios da década de 70, ganhou o 'Prémio Rosalía de Castro' do PEN Galiza, que distingue escritores relevantes de língua castelhana, catalã, basca e portuguesa.

1423745722judiceO júri do prémio, que já conta com doze edições e que distingue vários géneros literários, considerou que Nuno Júdice “tem um óptimo trabalho em vários géneros”, nas áreas do romance, poesia e ensaio.

Com vasta obra editada, Nuno Júdice publicou o seu primeiro livro de poesia, A Noção do Poema, em 1972. Antigo director do Instituto Camões em Paris, Nuno Júdice é, desde 2009, director da Revista Colóquio Letras, revista quadrimestral propriedade da Fundação Calouste Gulbenkian. Já em Janeiro de 2018 publicou A Pura Inscrição do Amor, edição Publicações Dom Quixote. 

O antigo aluno já recebeu também o 'Prémio PEN Clube' em 1985, o 'Prémio Dom Dinis' em 1990, o 'Prémio da Associação Portuguesa de Escritores' em 1995 e o 'Prémio Fernando Namora' em 2004.

No ano passado, Nuno Júdice tinha ganho o Prémio 'Internacional Camaiore' em Itália com o livro de poemas Fórmulas de uma Luz Inexplicável.

Para além de entregue a Nuno Júdice, o ‘Prémio Rosalía de Castro' 2018 do PEN Galiza distinguiu ainda os escritores Carmen Boullosa, Sergi Belbel e Harkaitz Cano.

Os quatro escritores distinguidos na edição deste ano juntam-se agora aos 44 distinguidos nas edições anteriores do prémio, que tem como júri Luís González Tosar, Ánxela Gracián, Xabier Castro Martínez, Bieito Iglesias, Xosé Ramón Pena, Marilar Aleixandre, Luís Menéndez e Manuel Guede.

Conheça a biografia de Nuno Júdice.

Texto: Tiago Artilheiro      |      Fotografia: Direitos Reservados