Dança: Antiga aluna da FLUL lança plataforma inovadora

Lançada há três semanas, Les Corps Dansants é uma plataforma digital que Maria Palma Teixeira classifica de "independente e livre, especializada na área da cultura, mais especificamente, nas artes performativas".


Em entrevista ao FLUL Alumni, a antiga aluna, que terminou em 2013 a Licenciatura Ciências da Cultura - especialização em Comunicação e Cultura na FLUL, refere que a "plataforma quer sobretudo pensar e debater a dança, divulgando a dança em Portugal".

sitecorpsA ideia só viu a luz do dia depois de ter amadurecido durante três anos. Em 2013, Maria Palma Teixeira partiu para Londres, onde fez o Mestrado em Marketing e Comunicação na Middlesex University. E por ter escolhido para tema de dissertação a dança na publicidade, "contactando todos os dias com ela", no regresso a Portugal achou que precisava de fazer mais, até porque, argumenta, "esta plataforma pensa todos os géneros de dança, para além da notícia e da crítica de espectáculo. É aí que reside a novidade. Não há nada assim em Portugal".

Sendo portuguesa e tendo estudado em Londres, afigura-se óbvia a pergunta pela escolha de um nome em francês para a plataforma digital. A alumna Maria Palma Teixeira revela que "este não era o nome originalmente pensado, mas é dos que melhor resume a essência da plataforma, sem a limitar. Falar de dança é falar de corpo. O corpo dançante. O corpo espelho. O corpo criador. O corpo espírito. É de todos esses corpos, e de outros mais, que vamos falar". E acrescenta que "Les Corps Dansants é uma expressão que flui mais naturalmente, também ela dança... Acabou por ser uma escolha natural".

A recepção da plataforma pelo público tem sido boa, explica. Mas lança o desafio ao público: "para quem quiser colaborar com textos de opinião ou crítica, lançamos o desafio de se juntar à equipa". Uma equipa, para já, de quatro pessoas, produz e actualiza a plataforma com conteúdos. Para além de Maria Palma Teixeira, que escreve, outros três elementos escrevem crítica de dança, de cinema e de teatro. Um deles "também alumnus da FLUL, o Nelson P. Ferreira, com quem aprendo imenso, já desde o tempo d'Os Fazedores de Letras". Há também uma ilustradora que dinamiza a página com ilustrações rotativas, caracterizadoras dos vários estilos de dança.

Maria Palma Teixeira acentua que "há ainda tanto por fazer pela dança: estimular a dança desde cedo, criar condições para a profissionalização dos bailarinos". Esse estímulo, pelo gosto da dança, também o encontrou na FLUL. "Sempre que tinha oportunidade tratava de temas relacionados com a dança nos meus trabalhos, com todo o apoio dos professores. O facto do curso também ter abertura para cadeiras de outras áreas permitiu-me ir mais longe", conta.

A alumna não tem dúvidas: "a FLUL potenciou e teve um papel fundamental no despertar para um olhar mais aprofundado e crítico sobre esta temática".

Para além de ser a propietária, directora e editora da plataforma Les Corps Dansants, Maria Palma Teixeira é, actualmente, account numa agência de marketing, assessoria de imprensa e relações públicas.

Texto: Tiago Artilheiro      |      Fotografia: Direitos Reservados