Alumna Maria Teresa Horta vence prémio literário Casino da Póvoa 2021

A escritora Maria Teresa Horta, que foi aluna da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa nos inícios da década de 1960, venceu o Prémio Literário Casino da Póvoa 2021, com o livro Estranhezas, inserido no encontro literário Correntes d'Escritas, na Póvoa de Varzim.

mttth

Em comunicado, o júri do concurso considera que a obra Estranhezas "é uma exaltação da paixão, da beleza, do real concreto e efémero eternizado pela deslocação da esfera do tempo para espaços da escrita".

"As sete partes deste livro revisitam e deslocam os temas centrais da obra e Maria Teresa Horta que, desde o seu primeiro livro [Espelho Inicial, 1960], criou um glossário e uma sintaxe muito pessoais, um idioma singular, que subverte e actualiza a ideia e poesia como canto celebratório, brincando com as convenções da rima e do ritmo", refere ainda o mesmo comunicado.

A alumna Maria Teresa Horta, em mensagem produzida para a cerimónia de abertura do encontro Corrente d’Escritas 2021, sublinha que "sempre pensei que um prémio de poesia não se agradece, recebe-se em silêncio, embora, quem sabe, em tumulto. No entanto, faço questão de dizer, com alegria, obrigado ao Correntes d'Escritas pelo prémio que me acabam de atribuir ao meu livro Estranhezas, que escrevi com prazer intenso e júbilo".

Maria Teresa Horta, que tem uma vasta obra de poesia e ficção, foi distinguida em Novembro de 2020 com a Medalha de Mérito Cultural, atribuída pelo Ministério da Cultura. Na altura, o Ministério referiu “percurso ímpar na história da cultura portuguesa” tido pela alumna da FLUL.

Em 2014, ano em que lhe foi atribuído o Prémio Consagração de Carreira pela Sociedade Portuguesa de Autores, editou o volume de contos Meninas.

Texto: Tiago Artilheiro (FLUL-DREI, Núcleo de Alumni e Mecenato) 

Fotografia: Direitos Reservados