Alumna da FLUL Maria Teresa Horta distinguida com Medalha de Mérito Cultural

A escritora e jornalista Maria Teresa Horta vai ser distinguida com a Medalha de Mérito Cultural pelo seu “percurso ímpar na história da cultura portuguesa”, anunciou hoje o Ministério da Cultura.

mth

Maria Teresa Horta foi aluna da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa nos inícios da década de 1960 e “tem um percurso ímpar na história da cultura portuguesa: como artista, foi sempre completa; como romancista, inovadora; como poeta, insubmissa; como cidadã, combateu sempre ao lado da liberdade das mulheres e dos homens”, informa o Ministério da Cultura em comunicado.

A atribuição da Medalha, este ano, verifica-se quando se comemoram os 60 anos de vida literária de Maria Teresa Horta. Em 2021, quando a medalha for entregue, assinalam-se os 50 anos sobre o início de concepção das “Novas Cartas Portuguesas”, que a autora escreveu com Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa.

A cerimónia de entrega da Medalha, que chegou a estar programada para meados deste mês mas que a actual situação pandémica obrigou a cancelar, terá lugar em “data mais oportuna”, no próximo ano.

A obra poética de Maria Teresa Horta editada em Portugal foi coligida em Poesia Reunida (2009), a que se seguiu Poemas para Leonor (2012), A Dama e o Unicórnio (2013), Anunciações (2016) – Prémio Autores SPA / Melhor Livro de Poesia 2017 -, Poesis (2017) e Estranhezas (2018).

Na ficção, é autora dos romances Ambas as Mãos sobre o Corpo (1970), Ema (1984) e A Paixão segundo Constança H. (1994), e coautora, com Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, das Novas Cartas Portuguesas (1972).

Em 2014, ano em que lhe foi atribuído o Prémio Consagração de Carreira pela Sociedade Portuguesa de Autores, editou o volume de contos Meninas”.

Texto e Fotografia: Tiago Artilheiro (FLUL-DREI, Núcleo de Alumni e Mecenato)