Antiga aluna da FLUL vence Prémio Fundação Inês de Castro

Djaimilia Pereira de Almeida, alumna do curso de Mestrado e de Doutoramento em Teoria da Literatura da FLUL, venceu o "Prémio Literário Fundação Inês de Castro" 2018, com o romance Luanda, Lisboa, Paraíso.

djaimiliaO livro conta a história de Cartola de Sousa, parteiro num hospital em Luanda, e Aquiles, seu filho de 14 anos, nascido com um calcanhar defeituoso, que viajam para Lisboa, nos anos 1980, para que o rapaz possa ser submetido às operações e tratamentos médicos que resolveriam o seu problema de saúde.

Luanda, Lisboa, Paraíso é o segundo romance de Djaimilia Pereira de Almeida, depois da estreia literária em 2015 com Esse cabelo, romance que valeu à antiga aluna o "Prémio Novos 2016 – Literatura" e um lugar de finalista no "Prémio Literário Casino da Póvoa" 2018.

Em 2013 foi uma das vencedoras do "Prémio de Ensaísmo serrote", atribuído pela Revista serrote (Instituto Moreira Salles, Brasil). 

A alumna foi ainda uma das fundadoras da revista Forma de Vida, revista do Programa em Teoria da Literatura da Universidade de Lisboa. Pode ler um dos textos de Djaimilia Pereira de Almeida na revista Forma de Vida aqui.

O "Prémio Literário Fundação Inês de Castro" 2018 foi outorgado por maioria do júri, que é presidido por José Carlos Seabra Pereira e composto por Mário Cláudio, Isabel Pires de Lima, Pedro Mexia e António Carlos Cortez. A cerimónia de entrega decorrerá no dia 30 de Março, no Hotel Quinta das Lágrimas, em Coimbra.

O "Prémio Literário Fundação Inês de Castro" já distinguiu vários autores e obras como Pedro Tamen, José Tolentino Mendonça, Hélia Correia, Gonçalo M. Tavares, Mário de Carvalho, Rui Lage ou a poeta Rosa Oliveira, vencedora do galardão em 2017.

Texto: Tiago Artilheiro (FLUL-DRE, Núcleo de Imagem, Comunicação e Relações Externas)

Fotografia: Direitos Reservados