Padre Manuel Antunes condecorado pelo Presidente da República

O professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa padre Manuel Antunes foi ontem condecorado, a título póstumo, pelo presidente da República, com a Grã-Cruz da Ordem do Infante Dom Henrique.

45545841 1007400052777490 4564011967341133824 nProfessor de várias gerações de alumni da FLUL nas décadas de 50, 60 e 70 do século XX, a distinção do padre Manuel Antunes ocorreu na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, no âmbito do congresso Repensar Portugal, a Europa e a Globalização, dedicado ao centenário do nascimento do padre Manuel Antunes, que ontem terminou.

Durante a sessão, o Presidente da República lembrou a dúzia de aulas do Padre Manuel Antunes que assistiu na FLUL, onde, no Anfiteatro I, “lá longe, em baixo, um vulto, vestido de preto com cabeção, impecável no porte, de pé falava, leccionava”. Marcelo Rebelo de Sousa lembrou as aulas onde o professor leccionava História da Cultura Clássica, com um “ritmo alucinante e onde apetecia ficar”. 

Aquele que era “um clássico a cuidar de clássicos”, tinha um “tempo e espírito que não se opunham, eram consubstanciais”. O Presidente da República sublinhou, igualmente, que o padre Manuel Antunes “reflectiu sobre o Portugal que estava de chegada” e “preveniu sobre os riscos do futuro”.

Classificando-o como “enciclopedista insaciável, um professor íntegro, profundo, carismático e influente”, Marcelo Rebelo de Sousa aproveitou para lançar a questão: “como foi possível termos deixado morrer o estudo da cultura clássica, desde logo, nos curricula pré-universitária”?

“Um século depois não é preciso entrar pé ante pé no anfiteatro onde ensinou milhares de alunos para que o sintamos entre nós”, disse o Presidente da República na sessão.

Nascido na Sertã a 3 de Novembro de 1918, o padre Manuel Antunes foi ordenado padre a 15 de Julho de 1949, pelo bispo de Guadix, D. Rafael Alvarez de Lara.

Em 1955, rumou a Lisboa para integrar a redacção da revista Brotéria, que dirigiu entre 1965 e 1982.

Em 1981 recebeu o título de doutor ‘Honoris Causa’ pela Universidade de Lisboa e, dois anos depois, nas comemorações do 10 de Junho, seria condecorado com o grau de Grande Oficial da Ordem Militar de Santiago da Espada pelo Presidente da República Ramalho Eanes.

O professor padre Manuel Antunes morreu a 18 de Janeiro de 1985.

Saiba mais sobre a vida e obra do padre Manuel Antunes aqui.

Texto: Tiago Artilheiro (FLUL-DRE, Núcleo de Imagem, Comunicação e Relações Externas)    

Fotografia: Clepul - Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da FLUL/ Direitos Reservados