“Ainda há muito por desvendar e reinterpretar sobre o Império Português”

Tema fulcral na História de Portugal, o Império Português serve de base ao novo livro do alumnus da FLUL João Paulo Oliveira e Costa, intitulado Construtores do Império, e escrito em co-autoria com Vítor Luís Gaspar Rodrigues, investigador do Centro de História da Universidade de Lisboa.

joao paulo oliveira e costa2

A obra apresenta “doze biografias de personagens que tiveram um papel relevante na construção do Império Português”, explica João Paulo Oliveira e Costa em entrevista ao FLUL Alumni.

O Infante D. Henrique, o Infante D. Fernando e Afonso de Albuquerque são apenas três das personagens retratadas no livro, grupo do qual faz parte apenas uma mulher: D. Beatriz. Ela foi uma “rara representante do sexo feminino para a construção do Império, e grande responsável pelo povoamento sistemático do arquipélago dos Açores”, refere o autor.

João Paulo Oliveira e Costa observa que “a Expansão dos séculos XV e XVI foi predominantemente um processo realizado pelos homens, à excepção do povoamento das ilhas atlânticas”; daí que apenas uma mulher conste na lista das doze personalidades biografadas na obra. Para além disso, o autor revela que “os casos de mulheres que se tenham aventurado nos mares neste período não estão suficientemente documentados”, o que dificulta o processo de escrita biográfica. construtores imperio2

Em entrevista ao FLUL Alumni, o autor sublinha que o objectivo foi encontrar um “grupo de indivíduos que fossem complementares, permitindo assim que este livro fosse ilustrativo da maior parte dos tipos sociais e profissionais que participaram neste processo histórico”. 

Um processo que não está fechado. Longe disso, garante João Paulo Oliveira e Costa: “sem dúvida que há muito por desvendar e ainda mais para reinterpretar”. Até porque, “este livro procura, inclusive, chamar a atenção para ideias completamente ultrapassadas que persistem nos manuais escolares, como a do ‘fracasso’ de Ceuta e o ‘desinteresse’ de D. Afonso V pelos Descobrimentos”.

Sobre o processo de escrita em co-autoria, o autor revela que cada um dos autores escreveu seis capítulos, tendo redigido juntos a introdução. Mas acentua que os dois “têm uma visão muito semelhante da História e da forma como deve ser escrita”, resultando num exercício “estimulante e muito profícuo”.

João Paulo Oliveira e Costa licenciou-se em História na FLUL em 1984, é doutor em História e professor catedrático da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, acumulando ainda com o cargo de director do Centro de História d’Aquém e d’Além-Mar (CHAM).

O livro Construtores do Império é uma edição da Esfera dos Livros.

Texto: Tiago Artilheiro