Adília Lopes

Poetisa, Cronista e Tradutora 

lopes adilia

Maria José da Silva Viana Fidalgo de Oliveira, mais conhecida pelo seu pseudónimo literário Adília Lopes, nasceu a 20 de Abril de 1960 em Lisboa. É filha de uma bióloga assistente de Botânica na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e de um professor do ensino secundário. É reconhecida pelo seu trabalho enquanto poetisa, cronista e tradutora.

Começou por frequentar a licenciatura em Física na Universidade de Lisboa, que acabou por abandonar já perto da sua conclusão devido a motivos de saúde. No ano de 1983, começa uma nova licenciatura, em Literatura e Linguística Portuguesa e Francesa, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, que termina cinco anos depois.

Um ano depois ao início da sua licenciatura dá-se a sua estreia no mundo da poesia, com a publicação de dois poemas no Anuário de Poetas não Publicados de 1984, através da editora Assírio & Alvim. Em 1985 publica o seu primeiro livro, intitulado Um Jogo Bastante Perigoso. No decorrer da licenciatura publica várias obras como O Poeta de Pondichéry (1986) ou O decote da dama de espadas (1988), reunião de poemas escritos entre 1983 e 1987, altamente louvado pelo crítica.

Finalizada a licenciatura foi bolseira do Instituto Nacional de Investigação Científica entre 1989 e 1992. Trabalhou no Centro de Linguística da Universidade de Lisboa, no projecto de antroponímia de países de línguas românicas PatRom.

Após mais algumas publicações Adília Lopes especializa-se em Ciências Documentais na Faculdade de Letras de Lisboa, no ano de 1995. A partir de 1999 trabalha para o teatro com a companhia de teatro Sensurround, de Lúcia Sigalhoa, a protagonizar um espectáculo baseado em textos seus intitulado A Birra da Viva.

Em 2000 publica Obra, uma colectânea de quinze livros seus de poesias, ilustrado por Paula Rego. Posteriormente, Adília Lopes é alvo de certo mediatismo, participando inclusive em programas televisivos e sempre recebendo atenção de diversos críticos literários.

Adília Lopes tem colaborado ao longo da sua carreira, quer no estrangeiro quer em Portugal, com jornais e revistas, com poemas e artigos.