João de Melo

Escritor

jmelo

Nascido nos Açores em 1949, João de Melo veio para Lisboa em 1967, onde trabalhou na área sindical, sendo ainda editor de autores portugueses e crítico literário. Entre 1971 e 1974, participa na Guerra Colonial, em Angola, episódio que esteve na base da antologia Os Anos da Guerra (1988) e do romance Autópsia de Um Mar de Ruínas (1984).

Cessada a guerra, João de Melo retorna a Lisboa, ingressando em seguida na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde foi aluno de Filologia Românica, concluindo o curso em 1981. Durante o percurso estudantil, mais concretamente desde 1975, começou a publicar as primeiras obras, recebendo, pela terceira, o romance O Meu Mundo Não É Deste Reino (1983), O Prémio Dinis da Luz (Açores).

Alguns anos depois, uma outra obra sua, o livro de contos Entre Pássaro e Anjo (1987), torna a ser distinguida nos Açores, com o Prémio Literário A Balada, recebido em 1989. É também neste ano que o autor é sucessivamente premiado pelo romance Gente Feliz com Lágrimas (1988), recebendo o Grande Prémio de Novela e Romance da Associação Portuguesa de Escritores (1989), o Prémio Fernando Namora/Casino do Estoril (1989), o Prémio Eça de Queirós/Cidade de Lisboa, 1989, o Prémio Livro do Ano Antena 1 (1989) e, no ano seguinte, o Premio Internacional Cristóbal Colón de las Ciudades Capitales Íbero-americanas. A mesma obra seria também, em fase posterior, adaptada à Televisão e ao Cinema, pela mão do realizador José Medeiros, sendo transmitida pela RTP tanto em formato de filme, como em formato de mini-série (2002). Quatro anos depois foi também adaptada ao Teatro, pelo grupo O Bando.

Para além de escritor, João de Melo chegou a exercer funções como docente no Ensino Secundário, sendo depois convidado pelo governo português para o cargo de conselheiro cultural junto da embaixada de Portugal em Espanha, cargo que exerceu de 2001 a 2009. Foi nesse período, em 2003, que criou a “Mostra Portuguesa”, um evento marcado pela apresentação de diferentes propostas de artistas e criadores portugueses, dos quais realizou sete edições, sendo o maior evento cultural português além fronteiras.

João de Melo procedeu ainda à tradução de algumas das suas obras para espanhol, nomeadamente Gente feliz con Lagrimas, Antología del Cuento português, Cronica del Principio y del Agua y otros Relatos, Mi Mundo no es de este Reino, Mar de Madrid e Autopsia de un Mar de Ruinas. Todas as actividades a que se dedicou foram sempre intercaladas com a actividade de escritor, somando quase duas dezenas de obras da sua autoria até ao presente, maioritariamente ficcionais mas que abrangem outros géneros como o Ensaio, a Crónica ou mesmo a Poesia.

Pela sua carreira de escritor e também de divulgador da Cultura Portuguesa, João de Melo foi o vencedor do Prémio Vergílio Ferreira de 2016, prémio que distingue a totalidade do seu trabalho literário.