Maria de Fátima Bonifácio

bonifacioHistoriadora

Maria de Fátima Bonifácio, nascida a 16 de Agosto de 1948, licenciou-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em 1977. No ano seguinte, entrou no GIS (Gabinete de Investigações Sociais) e, três anos depois, no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Em 1990, doutorou-se em História pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com a tese A Via Proteccionista do Liberalismo Português: política e economia nas relações luso-britânicas, 1834-43, publicando, no ano seguinte, a obra Seis Estudos sobre o Liberalismo em Portugal, a primeira da extensa lista bibliográfica da sua autoria, levada a cabo desde 1990 à actualidade. 

Entre 1980 e 2006, foi professora na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, pelo Departamento de História, tendo feito a sua agregação a essa instituição em 1998. Durante e aquando a actividade de docente, continuou a publicar várias obras focadas na História Contemporânea de Portugal, sobretudo referentes ao séc. XIX, levando, em Setembro de 2011, o Prémio Máxima de Ensaio, pela obra A Monarquia Constitucional (1807-1910), que fora publicada no ano anterior, à qual se seguiu a transcrição, prefácio e edição das Memórias do Duque de Palmela que, apesar de não ter sido premiada, teve um vasto reconhecimento na comunidade académica.

Para além das obras já mencionadas, Maria de Fátima Bonifácio é ainda autora de outras obras, nomeadamente a História da Guerra Civil da Patuleia (1993), a Apologia da História Política (1999), O Século XIX Português (2002), A Segunda Ascensão e Queda de Costa Cabral (2002), D. Maria II (2005), Estudos de História Contemporânea de Portugal (2007), Uma História de Violência Política - Portugal de 1834 a 1851 (2009) e O Primeiro Duque de Palmela - Político e Diplomata (2015). Para além deste conjunto bibliográfico, Maria Bonifácio foi também uma das colaboradoras da revista Análise Social (de 1981 a 2001), para a qual publicou vários artigos de História, para além de ter colaborado em dois Dicionários Ilustrados da História de Portugal (o primeiro em 1985 e o segundo em 1989).

O seu reconhecimento enquanto autora e investigadora, juntamente com o vasto trabalho desenvolvido, valeu-lhe o Prémio Grémio Literário, em 2013.

Actualmente, permanece com as suas actividades no âmbito da investigação em História.