Manuel Clemente

Cardeal-Patriarca de Lisboa, Professor e Teólogo

clemente

Manuel José Macário do Nascimento Clemente, nascido a 16 de Julho de 1948, é o 17º e actual Cardeal-Patriarca de Lisboa, com o título de D. Manuel III. Licenciado em História na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, a 1974, inicia as funções de docente de História na Universidade Católica Portuguesa, onde se formou em Teologia, em 1979, o mesmo ano em que também foi ordenado presbítero. Em 1992 continuou a formação em Teologia, tirando o doutoramento na mesma Universidade com a tese Nas Origens do Apostolado Contemporâneo em Portugal «A Sociedade Católica» (1843-1853) e, oito anos depois, torna-se director do Centro de Estudos da História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa, até 2007. Para além do trabalho investigativo em contexto académico, D. Manuel Clemente foi ainda coordenador de dois projectos financiados pela antiga Junta Nacional da Investigação Científica (actual Fundação para a Ciência e a Tecnologia): Igreja e movimentos sociais: as organizações católicas em Portugal no século XX (1993-1995) e O movimento católico e a presença da Igreja na sociedade portuguesa (1996-1998).

O seu percurso eclesiástico, marcado pela forte relação com o meio cultural e intelectual, inicia-se com as funções de vigário paroquial coadjuntor nas paróquias de Torres Novas e Runa, até 1980, data em que foi nomeado para a equipa formadora do Seminário Maior de Cristo-Rei dos Olivais, de que foi vice-reitor, entre 1989 e 1997. Foi também coordenador do Conselho Presbiteral do Patriarcado (1996) e coordenador da Comissão Preparatória da Assembleia Jubilar do Presbitério para o ano 2000. No que toca a cargos eclesiásticos propriamente ditos, foi nomeado bispo auxiliar de Lisboa, com o título de bispo titular de Pinhel (1999), sendo depois nomeado bispo do Porto em 2007 e, no ano seguinte, foi o primeiro bispo português a transmitir a mensagem de Natal através do site Youtube. Em 2011 foi eleito vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, de que é presidente desde 2013, e foi nomeado membro do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais.

Já no ano anterior (2012) presidiu à sessão solene de abertura das celebrações do 150º aniversário do nascimento da Beata Irmã Maria do Divino Coração, a Condessa Droste zu Vischering e Madre Superiora do Convento das Irmãs do Bom Pastor do Porto.

Tornou-se no Patriarca de Lisboa em 2013, sucedendo a D. José Policarpo, que falece a em 12 de Março de 2014, data em que a Sé Patriarcal de Lisboa deixou de ter um Cardeal Eleitor. Consequentemente, e em cumprimento do privilégio perpétuo concedido ao Patriarcado de Lisboa, foi anunciado pelo Papa Francisco que D. Manuel Clemente seria elevado a Cardeal, a 14 de Fevereiro de 2015, no Consistório Ordinário Público de 2015.

Para além das suas funções clericais e das suas acções relacionadas com a Comunidade Católica, D. Manuel Clemente é também autor de uma vastíssima lista bibliográfica, sempre vocacionada para a História da Religião e para a Teologia, que soma inúmeras redacções de obras inteiras da sua autoria, ou de colaborações em revistas e jornais da área. Foi ainda condecorado e agraciado por oito vezes, recebendo a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo, outorgada pelo Presidente da República Portuguesa Aníbal Cavaco Silva (2010), a Grã-Cruz Pro Piis Meritis, outorgada pela Ordem Soberana e Militar de Malta (2012), para além de cinco Medalhas de Honra de cinco municípios distintos (em 2010, de Marco de Canavezes, em 2011, do Porto e de Valongo e, em 2012, de Gondomar e de Vila Nova de Gaia), e uma Chave de Honra da Vila de Melres (2012). Foi ainda premiado com o Prémio Pessoa, em 2009, por ser “uma referência ética para a sociedade portuguesa no seu todo”, sendo o primeiro dignitário da Igreja a receber esta distinção. Recebeu também o Doutoramento Honoris causa em Ciência Política, Cidadania e Relações Internacionais, atribuído pela Universidade Lusófona do Porto (2012).