Guilherme Filipe

Actor, Encenador e Professorfilipe guilherme

José Guilherme Mora Filipe, ou Guilherme Filipe, como é conhecido, tirou a licenciatura em Filologia Germânica na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, na década de 70, onde regressaria praticamente trinta anos depois para tirar o mestrado em Estudos de Teatro.

A partir de 1974, torna-se docente de Inglês e Alemão no Ensino Secundário. Dois anos depois, juntamente com Isabel Medina e outros colegas, funda o English Teaching Group, um projecto que conjugava a arte do Drama e o ensino da Língua Inglesa (1976-1979). No ano seguinte, visando a formação de professores em ensino multidisciplinar, cria o Grupo de Comunicação e Teatro, juntamente com Rogério de Carvalho e, novamente, com Isabel Medina. Este projecto dura de 1980 a 1985, data que coincide com o seu ingresso no Conservatório Nacional (actual Escola Superior de Teatro e Cinema), obtendo a licenciatura em Representação e Encenação em 1984, ano da sua primeira aparição televisiva (na série Máfia, emitida pela RTP). Em 1986, funda a companhia Persona - Teatro de Comédia, C.A.R.L, de que foi director até 1991.

Nos anos seguintes, dedica-se sobretudo à representação, tanto em contexto televisivo como teatral, participando em algumas peças de Teatro e Cinema com projecção internacional (das quais se destacam La Brute, de Claude Guillemot, 1987, ou Je m'appelle Bernardette, de Jean Sagols, 2011), chegando ainda a colaborar na direcção e encenação de outras peças nacionais.

A partir de 2000, começa a leccionar na área do ensino artístico em diversas instituições de Ensino Superior, nomeadamente a Escola Superior de Teatro e Cinema, a Universidade Moderna de Lisboa (onde leccionou no Curso Livre de Formação de Actores), e a Universidade Lusíada de Lisboa (participando, novamente, no Curso Livre de Formação de Actores). Em simultâneo desenvolve investigação na área de documentação teatral.

Em 2008, com cinquenta e seis anos, Guilherme Filipe regressa ao mundo das Letras e torna a dedicar-se à sua formação académica, apresentando a tese de mestrado Percursos Itinerantes: a Companhia de Rafael de Oliveira, concluída nesse ano na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde permanece como investigador no Centro de Estudos de Teatro (curso frequentado durante o seu mestrado) e como professor convidado em diversos seminários organizados pela mesma instituição. De 2010 a 2013, ainda na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, integra a equipa de investigadores do projecto Vida Cultural Urbana em Cidades de Província, do Centro de Estudos Geográficos, na área do Teatro.