João de Carvalho

Actor e Encenadorjoao c carvalho

João Manuel Correia Pires de Carvalho, nasceu a 25 de Fevereiro de 1955 em Lisboa e foi estudante de História na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa na década de 70. Foi também nos anos 70 em que, seguindo as pisadas do pai, o actor Ruy de Carvalho, começou a pôr em prática o seu interesse pela representação.

Assim, em 1974, estreia-se profissionalmente, junto de Laura Alves, com a peça Legenda do Cidadão Miguel Lino, de Miguel Franco, integrando a Companhia de Teatro da RTP, no Teatro Maria Matos, a primeira de uma vasta lista de peças em que participou, no mesmo teatro, durante os primeiros anos de carreira. Apesar de esta ter sido a sua estreia profissional em idade adulta, João de Carvalho, com apenas quatro anos, iniciou a carreira de actor na Televisão, com a Noite de Teatro, emitida sempre às segundas-feiras, em directo, ao mesmo tempo que integrava o Teatro Radiofónico Infantil, com Alice Ogando e Madalena Patacho.

Entre 1974 e 1984, João de Carvalho torna-se uma presença assídua no palco da Companhia de Teatro da RTP, participando em peças de autores como Tchekhov, Brecht, Ibsen, Bernardo Santareno, Manuel da Fonseca ou Almeida Garrett. Nessa mesma instituição veio a participar na fundação e na direcção da Cooperativa Repertório, tendo entrado em peças como O Encoberto, de Natália Correia, O Pato, de Georges Feydeau, O Crime do Padre Amaro e A Tragédia da Rua das Flores, de Eça de Queiroz, ou O Avarento, de Molière.

A partir de 1984, passa a integrar o elenco permanente do Teatro Nacional D. Maria II, exercendo vários cargos, nomeadamente o de Director de Cena, sem, contudo, abandonar a representação. Neste teatro tornou a encarnar personagens de peças de William Shakespeare, Bernardo Santareno, Anton Tchekhov, Peter Shaffer, Oscar Wilde, Gil Vicente, entre outros. Nos primeiros anos da década de 80, João de Carvalho começou também a conciliar a representação nos palcos com a representação no pequeno ecrã, tendo integrado o elenco do programa Sabadabadu (1981, RTP), na primeira novela nacional, Vila Faia (RTP, 1982), somando, até aos anos 90, quase uma dezena de participações televisivas. No que toca a desempenhos mais recentes, é de destacar a sua participação na série Equador (TVI, 2009), na série Camilo o Presidente (SIC, 2009-2010), e Bem-Vindos a Beirais (RTP, 2014).

João de Carvalho empenhou-se também na sua actividade como actor e encenador independente, âmbito em que contracenou com o seu pai, na peça Palhaço de Mim Mesmo de Paulo Mira Coelho. Há, ainda, a assinalar a sua carreira cinematográfica, iniciada no início da sua carreira, tendo participado em produções como Schweik na Segunda Guerra Mundial, de Brecht (1975), Auto dos Enfatriões, realizado por Herlander Peyroteo (1979), Mãe Coragem e os Seus Filhos, uma nova adaptação cinematográfica de Brecht (1987), Vasco Santana: O Bom Português (1998), de género documental e biográfico, Maria Coroada (2012), de Carlos Coelho da Silva, entre várias outras. 

Para além da vasta e multifacetada carreira no mundo da representação, João de Carvalho tem-se dedicado também ao mundo da política. É neste contexto que, nas eleições autárquicas de 2013, concorre à Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, pelo PSD, onde já exercia funções de vereador desde 2012, funções essas que continua a exercer até ao presente.