José Nuno Martins

Autor, Produtor e Realizadormartins jose nuno

Nascido a 30 de Abril de 1948, José Nuno de Araújo Martins foi aluno da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde se licenciou em Filologia Românica nos inícios da década de 70. Nesta instituição, foi aluno de Vitorino Nemésio, Lindley Cintra e Padre Manuel Antunes. Durante o percurso estudantil, iniciara já actividade na Rádio, colaborando em programas como PBX, Em Órbita, Boa Noite em FM, Escala 12, Meus caros amigos e Os Cantores da Rádio, este último dedicado a dar a conhecer ao público português da época os principais artistas brasileiros. Iniciara igualmente a sua carreira televisiva, colaborando no programa de Zip-Zip (1969); posteriormente, veio também a participar no programa radiofónico Tempo Zip.

Em 1973, faz a sua única participação como actor numa longa-metragem da autoria de António-Pedro Vasconcelos, Perdido por Cem, ao lado de nomes como Ana Maria Lucas, Rosa Lobato Faria, António Machado, entre outros. Por essa altura, organiza inúmeros eventos em Portugal para a divulgação de artistas estrangeiros, de que se destacam personalidades como Vinícius de Moraes, Toquinho e Maria Creuza (Hotel Ritz, 1976), Caetano Veloso, Chico Buarque, Gilberto Gil, Jô Soares, Maria Bethânia, Paco de Lucia, entre tantos outros. Em 1975 inicia funções de realizador na RTP, função que mantém durante quinze anos e, entre 1990 a 1992, exerceu funções de Director de Programas Musicais e Recreativos. Ainda na década de 80, prepara para o Governo francês o dossier de candidatura que permitiu a atribuição de uma frequência para criar a Rádio Paris-Lisboa.

Nos inícios dos anos 90, com a criação da TVI, José Nuno Martins sai da RTP e aceita o desafio de dirigir os programas e a produção da nova estação televisiva, na altura pertencente a entidades ligadas à Igreja, como a Rádio Renascença, a RFM, a Universidade Católica Portuguesa ou o Santuário de Fátima, que impunham algumas limitações à sua actividade. Por esse motivo, em 1994, decide cessar as suas funções na estação e fundar a sua própria empresa. Assim, em 1995, é criada a 625 Audiovisuais, onde produziu programas como Os Principais (1ª e 2ª Séries), Cadeira do Poder, Casa de Artistas, Reis do Estúdio, Assalto à Televisão, Miguel Ângelo Ao Vivo, Cromos de Portugal (1ª e 2ª Séries), Companhia do Riso, Bacalhau Com Todos ou João Nicolau Breyner. Em 1998 cria a maior empresa de estúdios independentes em Lisboa, a Altavision Studios.

Chegou a apresentar uma das temporadas do popular programa Chuva de Estrelas, emitido pela SIC, tendo colaborado, portanto, com todas as estações televisivas nacionais generalistas. No entanto, regressa ao mundo da Rádio, uma das bases da sua carreira, como autor de diversas séries de programas realizados na Antena 1.

Entre Maio de 2006 e Junho de 2008, assume o cargo de Provedor do Ouvinte da Radiodifusão Portuguesa. Desde 2009 que é autor e apresentador do programa Duetos. Actualmente é director do Jornal do Benfica e assessor da administração da RTP.