António Matos Ferreira

matos ferreira antonioHistoriador e Professor

António Manuel Antunes de Matos Ferreira, nascido a 10 de Junho de 1952, licenciou-se em História, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, em 1979. Até então, mais concretamente entre 1972 e 1975, exercera funções de docente do Ensino Básico na Casa Pia de Lisboa. Três anos depois, faz parte de um grupo estudantil dedicado ao estudo dos séculos XIX e XX e das revoluções socialistas, pertencente ao Centre d'Études du Développement en Amérique Latine (CEDAL), em Paris.

A partir de 1979, o ano de conclusão da Licenciatura, até 1984, lecciona em instituições lisboetas de Ensino Secundário sendo que, em 1985, obteve, como bolseiro do Instituto de Cultura e Língua Portuguesa (ICALP), o Diplôme d'Études Approfondies (D.E.A.) em História Moderna e Contemporânea, pela Universidade de Sorbonne, em Paris. É também nesta altura que se torna docente no Departamento de História da Faculdade de Teologia da Universidade Católica, em Lisboa, primeiramente como professor eventual e, desde 1989-1990, como Assistente Regente. Também desde 1989 lecciona no Departamento de História na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, como assistente convidado até 2005, e como Professor Auxiliar Convidado desde então.

Em 2005, António Matos Ferreira conclui o Doutoramento na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com uma tese dedicada ao activista católico Abúndio Silva, designada Um militante católico diante da crise nacional: Manuel Isaías Abúndio da Silva (1874-1914). É autor de dezenas de publicações, sempre vocacionadas para os diferentes aspectos da História da Religião, nomeadamente questões alusivas à secularização e à laicidade.
Enquanto investigador e autor foi, por diversas vezes, colaborador em obras colectivas como manuais e dicionários de História, nomeadamente, a Histoire du Christianisme des origines à nos jours (Coord. de J M. Mayeur, 1990-1995); a História de Portugal: dos tempos Pré-Históricos aos nossos dias (dir. João Medina, 1993); e a História da Expansão Portuguesa (Coord. de Francisco Bethencour e Kirti Chaudhuri; 1998-1999).

A partir de 2000, António Matos Ferreira passa também a ser coordenador, para além de autor, em obras como António Lino Neto: Intervenções Parlamentares (1918-1926) (coord. com João Miguel Almeida, 2009) e, mais recentemente, Religião e cidadania: protagonistas, motivações e dinâmicas sociais no contexto ibérico (coord. com João Miguel Almeida, 2011). Ainda antes de se doutorar, já ficara encarregue das coordenações de algumas publicações, nomeadamente o Dicionário da História Religiosa de Portugal (com a Direcção de Carlos Moreira Azevedo, 2000-2001), e o terceiro volume da História Religiosa de Portugal (com a Direcção de Carlos Moreira Azevedo e em a co-coordenação com D. Manuel Clemente, 2002), dedicado à Religião e à Secularização.

Pertence, desde 2002, ao Conselho de Redacção da revista suíça Le Fait Missionaire: histoire et héritage – approche pluridisciplinaire, da Faculdade de Teologia da Universidade de Lausanne, sendo ainda o Director da revista Viragem. Revista do movimento Metanoia, desde 2007. Foi também o coordenador do projecto da edição especial da Agência ECCLESIA sobre 5 de Outubro 2010 – Centenário da República. No ano seguinte, a Agência ECCLESIA anuncia oficialmente António Matos Ferreira como o sucessor de Ana Jorge na Direcção o Centro de Estudos de História Religiosa (CEHR) da Universidade Católica Portuguesa.

Actualmente, António Matos Ferreira permanece activo no campo da investigação, continuando a colaborar em diversas palestras, colóquios e eventos de comunicação, para além de continuar a exercer como professor universitário e Director do CEHR.