Ruy de Moura Belo

Poeta e Ensaísta

ruy belo

O poeta e ensaísta Ruy Belo, nascido a 27 de Fevereiro de 1933 em São João da Ribeira, Rio Maior, ingressou na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em 1961, após um conturbado percurso académico, iniciado em 1951, com a entrada para o curso de Direito em Coimbra. O curso de Direito é depois concluído em Lisboa, na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, em 1956, o mesmo ano em que inicia um estágio de quatro meses no Departamento de Advogados do Ministério da Justiça. Ainda nesse ano, desloca-se a Roma, onde tira o Doutoramento em Direito Canónico pela Universidade de S. Tomás de Aquino, apresentando uma tese intitulada Ficção Literária e Censura Eclesiástica. 

Quando regressa a Portugal, em 1961, ingressa na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde tira o curso de Filologia Românica, concluído a 1967, com média final de 16 valores. No mesmo ano, publica Aquele Grande Rio Eufrates e a colectânea ensaísta Poesia Nova, publicando no ano seguinte (ano da greve académica, em que participa) O Problema da Habitação. Recebe também uma bolsa para investigação da Fundação Calouste Gulbenkian.

Durante dois anos, de 1967 a 1969, foi Director-Adjunto do Ministério da Educação Nacional e, ainda em 1969, candidata-se a deputado pelas listas da Comissão Eleitoral da Unidade Democrática, ano em que são publicadas mais duas das suas obras: a colectânea Na Senda Poesia e o livro Homem de Palavras. Dedicou-se, também, à tradução de autores como Antoine de Saint-Exupéry, Montesquieu, Jorge Luís Borges e Federico García Lorca. Os seus escritos dividem-se essencialmente entre poesia e ensaística focalizada primordialmente em temática filosófico-religiosa. A sua obra, organizada em três volumes sob o título Obra Poética de Ruy Belo (1981), foi, entretanto, alvo de revisitação crítica, sendo reconhecida a genialidade do seu legado.

Durante os últimos anos de vida, ocupou o lugar de leitor português na Universidade de Madrid (1971-1977). Veio a falecer a 8 de Agosto de 1978, vítima de um edema pulmonar, na sua casa em Queluz.

Mais de dez anos após o seu falecimento, em 1991, foi condecorado a título póstumo, com o grau de Grande Oficial da Ordem Militar de Santiago de Espada e, treze anos depois, mais concretamente a 27 de Agosto de 2005, foi inaugurada em Queluz a Biblioteca Ruy Belo, a primeira biblioteca municipal da cidade. No dia em que se comemoraram os 75 anos do seu nascimento, 27 de Fevereiro de 2008, a Câmara Municipal de Rio Maior lançou o Prémio Nacional Poeta Ruy Belo, com o objectivo de homenagear o autor e distinguir obras poéticas em língua portuguesa.