Maria Filomena Mónica

Escritora e Investigadoramonica filomena

Nascida a 30 de Janeiro de 1943, Maria Filomena Mónica ingressa na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa nos finais dos anos 50, onde conclui a sua licenciatura em Filosofia em 1963, que é também o ano do seu primeiro casamento com Carlos Braamcamp Freire Pinto Coelho, de quem teve dois filhos, a jornalista Sofia Pinto Coelho e o publicitário Filipe Mónica Pinto Coelho.

Depois da sua passagem pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Maria Filomena Mónica desloca-se até Oxford, onde, já divorciada, conclui o seu doutoramento em Sociologia (1978), área exercida pelo seu segundo marido, António Barreto.

Além das suas publicações na esfera da sociologia, de que se destaca Visitas ao Poder (com edições em 1993,1994 e 1999), obra que lhe veio a outorgar o Prémio Máxima de Literatura, o seu interesse pelo passado histórico e literário nacional leva-a a redigir biografias de figuras poeminentes como Fontes Pereira de Melo (1999) Eça de Queirós (2001) e D. Pedro V (2005).

Anos depois, invocando sua condição de mulher que testemunhou na primeira pessoa a vida num Portugal fechado e conservador, procede à elaboração de uma obra autobiográfica, intitulada Bilhete de Identidade, Autobiografia 1943-1976, (2005), uma das muitas publicações da sua autoria que se somam desde 1978, ano da sua primeira obra, Educação e Sociedade no Portugal de Salazar, sendo toda a sua bibliografia vocacionada para o panorama histórico-social português contemporâneo.

Em anos mais recentes evidencia uma preocupação crescente com questões educativas presentes em publicações como Vale a Pena Mandar os Filhos à Escola? (2008) ou A Sala de Aula (2014). É de referir ainda a sua incursão na literatura ficcional com O Cantos: A Tragédia de uma Família Açoriana (2010).

Para além das suas publicações, durante o ano de 2009, exerce funções como investigadora-coordenadora no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, colaborando ainda na revista Análise Social. Actualmente, apesar de aposentada, mantém a sua actividade literária.